19.10.06

Deixa eles voltarem, caralho! Chega de tudo pra todos!

Cansei de ir ao supermercado e encontrá-lo cheio. O alimento está barato demais. O salário dos pobres aumentou, e qualquer um agora se mete a comprar hambúrguer e iogurte.

Cansei dos bares e restaurantes lotados nos fins de semana. Se sobra algum, a gentalha toda vai para a noite.

Cansei dessa demagogia. O governo reduziu os impostos para os computadores. A Internet virou coisa de qualquer um. Pode? Até o filho da manicure agora navega...

Cansei dos estacionamentos sem vaga. Com essa coisa de juro a 0,99%, todo mundo tem carro, até a minha empregada. "Isso é uma vergonha", como dizia o Boris Casoy.

Cansei da moda banalizada. Agora, qualquer um pode botar uma confecção. Tem até crédito oferecido pelo governo. O que era exclusivo da Oscar Freire agora se vende até no camelô da 25 de Março. Vergonha, vergonha, vergonha...

Cansei dessa coisa de biodiesel, de agricultura familiar. O caseiro do meu sítio agora virou "empreendedor" no Nordeste. Pode?

Cansei dessa coisa assistencialista de Bolsa Família. Esse dinheiro poderia ser utilizado para abater a dívida dos empresários de comunicação. A coitada da "Veja" passando dificuldade e esse governo alimentando gabiru em Pernambuco. É o fim do mundo.

Cansei dessa história de PROUNI, que botou esses típinhos sem berço na universidade. Até índio agora vira médico e advogado. É um desrespeito... Meus filhos, que foram bem criados, precisam conviver e competir com essa raça.

Cansei dessa história de Luz para Todos. Os capiaus agora vão assistir TV até tarde. E, lógico, vão acordar ao meio-dia. Quem vai cuidar da lavoura do Brasil? Diga aí, seu Lula...

Cansei dessa história de facilitar a construção e a compra da casa própria. E os coitados que vivem de cobrar aluguéis? O que será deles?

Cansei dessa palhaçada da desvalorização do dólar. Agora, qualquer um tem MP3, celular e câmera digital. Qualquer umazinha aqui do prédio vai passar férias no Exterior. É o fim...

Vou votar no Geraldo Alckmin. Chega dessa baboseria politicamente correta, dessa hipocrisia de cooperação. O motor da vida é a disputa, o risco... Quem pode pode, quem não pode se FODE.

Tenho culpa eu se meu pai era mais esperto que os outros para ganhar dinheiro? Eles que vão trabalhar, vagabundos, porque no capitalismo vence quem tem mais competência. É o único jeito de organizar a sociedade, de mostrar quem é superior e quem é inferior.

Eu vou justificar, é certo. Mas se fosse votar... Basta! Ia votar no Geraldo Alckmin. Quero ver essa gente no lugar que lhe é devido. Quero minha felicidade de volta.

16.10.06

Tristeza

do Lat. tristitia s. f., 1 - qualidade ou estado de triste; 2 - consternação; 3 - dó; 4 - aspecto que revela mágoa ou aflição; 5 - melancolia; 6 - angústia.

A gente tem que aprender a lidar com ela, que chega de repente e te faz ver que a vida não é um morango. Mas também te faz amadurecer. Por pior que seja a situação, não há mal que não se cure. Ainda que não pareça. Tenho aprendido umas lições por estes tempos. Muito embora seja árdua minha luta com o meu incosciente pra que eu aceite, de uma vez por todas, que já cresci. Não sei, mas quando tudo tá dando certo demais, preocupe-se. Sempre vai ter que acontecer alguma coisa pra te mostrar aquilo que comentei antes, sobre o morango. Aí a gente balança, fica triste. Sei lá...

Tristeza é essa angústia que dá. Essa sensação que me domina agora, impontência. Foda querer mover-se e não poder. Algo como o que me fora descrito ontem: os peixes nadam somente o suficiente pra escaparem das tuas mãos. Senti-me assim hoje. Praticamente com tudo em mãos e, pimba, deu errado. Que merda essa situação. Não a tristeza, até já me acostumei com ela. Falo da impotência...

O pior é olhar pra trás e ver que o meu hoje tá sendo resultado do meu passado. Da dedicação que eu tive por pessoas que sequer consideração comigo tiveram, quando eu mais precisei. Também é fruto de atitudes imbecis, e de puro sentimento de ego inflado. Foda.

Bom mesmo é sentir e saber que conto com pessoas que, no mínimo, foram muito especiais pra mim em outras vidas. Falo da Cris, falo da Lisi, e falo da Roberta. Com cada uma delas tenho aprendido e ensinado. Tenho encontrado segurança, ainda que eu seja um mero e ilustre desconhecido que caiu de pára-quedas na vida de todas elas... mas enfim. O saldo final é de muito felicidade, como há muito tempo não tinha.

Ontem enchi a cara. E sábado também. Ontem fui de montilla, sábado de vodca, com direito a jogar capoeira no meio da sala da casa da cris e amnésia, coisa que eu nunca tive! Também pudera... a montilla, tomei uma garrafa sozinho, com limão. E vodca, tomamos em três: cris, miriam e eu. Só esqueci de acrescentar que rolaram umas quatro latinhas de skol. Bebe negão. E ainda fui no bingo na noite de sábado! Adorei. Vi o dvd do bon jovi e da shakira, joguei com o meu amor. Quero ir de novo, só pra ouvir aquela voz sensual-erótica da mulher que canta as pedras. E pra comer de graça também... já pensou se eu bingo? Nossa, muito do meus pobremas seriam resolvidos...

Ai, ai. O vazio tá passando. Tô ouvindo maria do céu, aquele cantora que coloquei no meu multiply [http://meusdizeres.multiply.com]. Eis aí um sonzinho bom de se escutar. Dá até pra balançar o esqueleto e pensar na vida. Enfim... não sei como terminar este post. Comecei a fazê-lo chorando. Daí fiquei revendo os e-mails que já recebi da Roberta. Fiquei feliz. E também olhei o meu álbum do orkut umas 30 vezes, toda hora clicando e ampliando a foto da legenda do amanhecer. Sim, sou muito fã daquela foto. Sim, eu estou apaixonado...

Amanhã é aniversário da minha cunhada. Gostei dela de cara. E do namorado dela também. São buenas personas, pelo que eu senti...

E hoje vou ver a Roberta, meu amor. Preciso daquele sorriso lindo e daquela gargalhada alta pra me acalmar... o negócio tá feio hoje...

inté.

11.10.06

La vuelta del cábron.

Fazia tempo que o vermizinho não vinha por aqui. Bastante mesmo. Desonfio que me hospedeiro tenha usado vermifugo pra acabar comigo. Ou então seguiu o conselho da vovô dele: sentou numa bacia com água morna e vinagre e matou todas as tuxinas da beira do seu cú. Mas o abestalhado esqueceu do outro conselho, o de lavar às mãos antes de comer. E cá estou eu, de volta.

Doidinha, doidinha pra pôr meu ovinhos e perturbar o sono alheio. Mua há há há.

MAS eu sinto que meu hotel ambulante anda feliz por esses dias. A merda tá vindo mais vistosa, mais cremosa, sinal que está se alimentando bem. Fico feliz por ele. Estava foda mesmo. Mano, uma maré de azar que eu nunca tinha visto: tudo dava errado. Era amigo que não existia, era morador que queria enrrabá-lo, era gente falsa pra tudo que é lado, era gente passando a mão na bunda dele e o caralho. Mas enfim. Não nada de ruim que não posso melhorar. E melhorou.

A paz do nosso Senhor Jesus Cristo voltou a reinar pelas bandas e pela bunda. Agora ele tá que nem pinto em lixo, lombriga em bucho de mulher descalço. Tomará que essa paz dure. Porque a paz no negão é sinal de muito cagalhão e mais comichão.

Até mais, minha gente. Voltarei outro dia, com mais tempo. Porque agora é hora de matar a saudade...

2.5.06

coçar até doer faz a coceira parar.

Picada de carapanã, curuba de catapora e casca de ferida logo dão aquela vontade irresistível de esfregar com as unhas. Hepatite, então, dá coceira no corpo todo. Qual é o melhor remédio para a coceira? Coçar, é claro. Não que coçando a toxina saia, a inflamação acabe ou a ferida feche. Muito pelo contrário. Coçando a gente acaba se machucando - e com a dor, acaba a coceira.
Por causa dessa "transformação" em dor, até pouco tempo atrás se acreditava que a coceira seria simplesmente uma forma fraca de dor.

A sensação de coceira começa com substâncias irritantes na pele, sendo que a mais famosa é a histamina - aquela conhecida dos alérgicos, que é liberada no sangue, causando o nariz vermelho, os olhos inchados e os espirros. Mas para sentir o que quer que seja, é preciso que alguma "antena" do corpo, um receptor dentro da pele, detecte o sinal e o envie para o cérebro através das fibras nervosas reunidas nos nervos. Embora muitos receptores sejam específicos, nem todos cuidam de um só tipo de sinal. E como tanto a dor quanto a coceira resultam de substâncias químicas derramadas pelo próprio corpo, a coceira poderia perfeitamente ser sinalizada pelos receptores da dor.

Definir se coceira é dor ou não parece preciosismo, mas é o que pode acabar com o desconforto de muitas pessoas. Enquanto uma picada do pobre carapanã é só um incômodo passageiro, às vezes a coceira pode ser não só crônica como também intratável, como na hepatite e outras doenças do fígado, dos rins, ou do sistema imunológico. E, ao contrário do que poderia se esperar se a coceira fosse uma forma fraca de dor, alguns remédios contra a dor - opióides, como a morfina - acabam provocando surtos incontroláveis de coceira. Entender a coceira, portanto, é uma maneira de combatê-la.

Um alemão aí diz que encontrou algumas fibras isoladas que respondiam não ao toque, nem à aplicação sobre a pele de óleo de mostarda, que causa dor ardente imediata, mas somente à histamina. E o que é melhor: só aparecia atividade nas fibras uns 20 segundos após a injeção, justamente quando começava a coceira. Por outro lado, fibras que respondiam ao óleo de mostarda não davam a mínima para a histamina. Isso indica que na pele há receptores separados para dor e coceira. Mas será que as duas sensações continuam em canais separados até o cérebro?

Se coceira e dor são duas coisas diferentes, por que os opióides dão coceira? Ao contrário da maioria dos neurônios, os "neurônios de coceira" encontrados na medula não têm atividade espontânea, o que quer dizer que não estando expostos a nenhum irritante, eles ficam em silêncio. Mas parece que esse silêncio não é por opção, e sim por imposição dos neurônios vizinhos, que sinalizam dor. Remédios que reprimem a atividade dos "neurônios de dor" acabam com essa inibição, "liberando" a atividade nos neurônios de coceira - e talvez seja assim que os opióides, que não são irritantes, terminem provocando coceira. (Por isso, ao contrário do senso comum, não é recomendado colocar anestésicos locais, como a xilocaína, para aplacar a ira das pintinhas de catapora dos vossos bacuris. Ao bloquear a dor, eles de tabela liberam a coceira, e o tiro acaba saindo pela culatra).

Se bloqueando a dor a coceira aparece, talvez desbloqueando a dor seja possível fazer a coceira parar sem arrancar a pele com as unhas. Desbloquear a dor não quer dizer causar dor, mas sim inibir os mecanismos internos - os opióides que o próprio corpo produz - que diminuem a dor. Esse novo tratamento já vem surtindo efeitos em doenças do fígado e dermatites, aquelas desagradáveis inflamações da pele. Mas se a coceira é realmente alucinante, uma alternativa é causar a dor, mesmo, passando óleo de mostarda ou até dando pequenos choques elétricos na pele (atenção, isso só deve ser feito por um médico!!!).

E se nada disso funcionar, resta o remédio mais aplicado pelas mães: dar beijinhos pra passar, e mudar de assunto. Não há curuba de catapora que resista a um bom videogame ou uma skol bem gelada...

by tuxina

---------

Eu sempre fui fã da METÁFORA e do EUFEMISMO.

30.4.06

no maranhão o babaçu abunda.

Porque eu sou LIMPA, TRABALHADORA e gosto de sair pras BALADA. Mas infelizmente no brasil tem muito PRECONCEITO!

http://www.youtube.com/w/travinha?v=1S2nQY9Cip0&search=TRAVINHA







hora de botar ovinhos.

28.4.06

o sofrimento


Foi numa tarde de domingo que alguém perguntando por ela chegou. Deixando o meu coração tristonho, enciumado e morrendo de amor. Eu falei, eu menti, eu chorei, eu sorri dizendo. Que ela mora no meu peito e eu moro vizinho a ela. E eu fico desse jeito, pensando nos beijos, nos carinhos dela.


já fui muito feliz.

meu coração tá despedaçado...

20.4.06

...

20 de abril de 2006.
10:13 pm.
fim.

This page is powered by Blogger. Isn't yours?